Friday, 9 October 2009

love is



















love is more thicker than forget
more thinner than recall
more seldom than a wave is wet
more frequent than to fail

it is most mad and moonly
and less it shall unbe
than all the sea which only
is deeper than the sea

love is less allways than to win
less never than alive
less bigger than the least begin
less littler than forgive

it is most sane and sunly
and more it cannot die
than all the sky which only
is higher than the sky

e.e.cummings


3 comments:

  1. Obrigada São, por partilhar connosco este belo poema alusivo quanto a mim a um dos temas mais sublimes...o Amor. De facto a “Maior“ expressão dos Afectos, que assume as mais diversas formas: amor físico, amor platónico, amor filial, amor a Deus, amor aos amigos, amor à vida…e é o tipo de amor que tem relação com o carácter da própria pessoa e a motiva a amar. Para finalizar, deixo este poema que aprecio bastante:

    AO FIM

    Ao fim, são muito poucas as palavras
    que nos doem a sério, e muito poucas
    as que conseguem alegrar a nossa alma.
    São também muito poucas as pessoas
    que tocam o nosso coração, e menos
    ainda, as que o tocam por muito tempo.
    E ao fim, são pouquíssimas as coisas
    que na nossa vida, a sério, nos importam:
    poder amar alguém, sermos amados e,
    não morrer depois dos nossos filhos.
    Amalia Bautista

    Bjs
    Fátima Clérigo

    ReplyDelete
  2. Linda foto de bonitas raízes que contrastam com o fundo mais claro, transmitindo sensação de serenidade e segurança (as árvores são o maior amigo do Homem).
    VT

    ReplyDelete
  3. Obrigada pelos simpáticos e sensíveis comentários! Obrigada Fátima pelo oportuno poema sobre este tema de eleição das almas poeticas! Vou partilhar o que Rilke nos diz, em Rilke and Benvenuta: an Intimate Correspondence
    "If I were to tell you where my greatest feeling, the bliss of my earthly existence has been, I would have to confess: It has always, here and there, been in this kind of in-seeing, in the indescribably swift, deep, timeless moments of this divine seeing into the heart of things."
    (Sim Vasco, como no coração das árvores!)
    cx

    ReplyDelete